Transando Com O Primo Na Casa Da Vovó

Transando com o primo na casa da vovó

Era mês de julho, época de férias, eu e meus primos costumavamos viajar para Ribeirão Preto sempre neste período para passar as férias na casa de nossos avós. Eu e meu primo Davi eramos os mais velhos dos netos. Ambos estávamos com 18 anos de idade. Ele era moreno , meio musculoso, alto e muito gostoso. Já há algum tempo nos olhavamos de uma maneira ousada… O fato era que tinhamos desejos um pelo outro.

Certa noite todos estavamos à mesa jantando.

Neste dia todos jantamos mais cedo pois meus avós iriama uma confraternização na casa de alguns amigos. Dois de nossos primos, os mais novos, acompanharam nossos avós e Davi e eu ficamos os dois sozinhos em casa jogando xadrez. Durante a partida nossos olhares pareciam quererem revelar que algo estava por acontecer.

Foi ficando tarde e fui até o quarto me trocar, por uma camisola, mas ptometi ao meu primo que voltaria para continuarmos o jogo. Ao voltar encontrei Davi apenas de cueca na sala onde estavamos jogando mas, achei normal porque como tinhamos a mesma idade fomos criados com muita intimidade. O jogo reiniciou com um clima diferente , em eu dado momento Davi reparou o decote de minha camisola e fez elogios aos meus seios. Tive uma sensação esquisita de vergonha e prazer. Os comentarios dele em relação aos meus seios aumentaram e num gesto meio impulsivo tirei a camisola e os mostrei ao meu primo dizendo: – Não é silicone é natural veja só.

Davi levantou da cadeira e foi ao meu encontro. Ele acariciava meus seios com as duas mãos me deixando muito exitada. Quando menos esperava ele me agarrou pela cintura e demos um beijo que quase nos deixou sem ar. Depois do beijo notei que Davi estava bastante exitado, tanto que notava-se o grande volume que se formava por debaixo de suas roupas íntimas. Não aguentando mais de tesão fomos para meu quarto. Eu não estaa me reconhecendo. Parecia não ser eu. Tiramos toda a nossas roupas e pulamos na cama. Iniciamos com um gostoso sexo oral. Davi tinha um cacete mediano de uns 20cm de comprimento, mas bastabte grosso e eu tinha uma bucetinha apertadinha porém muito gulosa. Abocanhei o cacete do meu primo e chupei como se fosse um sorvete, Davi gemia de tanto prazer, logo senti o gosto adocicado de sua porra em minha boca. Em seguida Davi chupou minha bucetinha com tanta habilidade que me deixou com um desejo enorme de pica. Já não aguentando mais de tesão disse para Davi que enfiasse todo o seu cacete em minha bucetinha. Davi sem piedade socou de uma só vez gritei de tanto prazer. Depois ele ficou enfiando e tirando e pedindo para eu rebolar. Davi gozou em jatos fortes que encheram toda minha bucetinha. Apos um breve descanso reiniciamos a transa. Dessa vez cavalguei sobre sua rola até a madrugada. Fiquei toda ardida de tanta rolada que levei….. uma gostosura. As férias inteiras foram regadas com muito sexo. Transavamos todos os dias, várias vezes ao dia e em vários lugares diferentes. Em uma próxima oportunidade conto da nossa transa noturna na piscina…foi D+.

Contos relacionados

Comendo A Prima E A "amiga"

Comendo a prima e a "amiga" Olá, neste conto irei usar nomes fictícios. Meu nome é Carlos, tenho 20 anos, 1,80 m de altura, 90 kg, sou moreno, cabelo curto, faço musculação e pratico esportes, tenho o corpo sarado e um pau de 21 x 6 cm. Tudo...

Minha primeira vez com outro homem

Me chamo Patricia , tenho 42 anos, moro em São Paulo, mãe de de um casal lindo, já maiores, mas com muito tesão. Justamente na nossa viagem para comemorar 25 anos de casamento que tudo começou. No conto passado contei como descobri que meu marido...

Minha Princesa Fudeu No Trabalho

Minha princesa fudeu no trabalho Minha esposa trabalha em uma transportadora, no mês passado entrou um encarregado, um homem forte e de 42 anos, passados três dias ele foi até o escritório dela e quando subia a escada se deparou com minha esposa...

Fugidinha Com O Padrasto

Adoro festas de fim de ano. Na verdade, adoro é todo tipo de festa. Se você fizer uma, nem que seja de Cosme e Damião, me convida viu? Já virou tradição, sempre comemoramos as festas de Natal na casa de meus avós maternos, isso desde quando meu pai...

Quando Perdi Minha Virgindade No Mato

Quando perdi minha virgindade no mato Bom leitores me chamo Cristina, e já postei um outro conto. Irei contar minha iniciação na vida sexual que adoroooooooo. Eu a época tinha um namorado da mesma idade que aqui irei chamar de Gilson. Ele era...

Submissa 

Submissa  Não conseguia entender esse tipo de relacionamento aberto, mas a Ângela arrumou um namorado super liberal e freqüentemente ela se gabava de ter transado com dois ou três homens de uma única só vez, na verdade eu a achava uma grande...