Minha Namorada Me Corneou

Olá. A historia que vou tratar nesse conto é real e aconteceu a 3 semanas atrás, mas antes preciso dar alguns detalhes. Meu nome é Diego, tenho 22 anos, sou bem branco, porte físico magro. Namoro Priscila a 3 anos. Ela é morena com o cabelo bem preto, seios médios, bumbum gostoso e arrebitado, bem gostosinha e também tem 22 anos. A algum tempo depois de muito pensar, tomei coragem e contei para ela o fetiche que eu tinha de ver ela transando com outro homem, além de gostar de um pouco de humilhação. Para meu espanto ela não se assustou e disse que quem sabe um dia poderíamos colocar o plano em prática. 

Então a 3 semanas atrás resolvemos tirar o final de semana de folga e fomos para a praia. Alugamos um apartamento em um condomínio em Ubatuba e fomos para lá na sexta feira a tarde. 

No sabado de manhã não quisemos perder tempo e bem cedo já fomos para a praia. Ela colocou um biquini bem pequeno, que mostrava parte do seu seio e embaixo era fio dental. Depois de algum tempo que estavamos lá tomando sol, passou um cara alto, bem bonito, com os musculos definidos, barba por fazer, e uma sunga azul que deixava a entender qual era o tamanho da sua ferramenta. Ele parou distraído bem na nossa frente e eu notei que a Priscila não conseguia tirar os olhos dele. Para onde ele ia ela o acompanhava com o olhar, chegando a esquecer tudo o que estava em volta. Quando ele deu uma sumida, ela ficou inquieta e disse que queria ir embora para o apartamento. Juntamos nossas coisas e fomos, só que ali ela já estava com o fogo aceso.

Chegando no condomínio, ela viu que tinha um rapaz sozinho na piscina. Ele era loiro, olhos azuis, com o corpo definido e aparência de uns 27 anos. Foi então que ela parou e me disse “vai ser agora meu amor.” Meu coração disparou e eu não consegui dizer nada enquanto ela caminhava na direçao da mesa que o rapaz estava sentado ao lado da piscina. Chegando lá ela disse:

“Oi. Tudo bem? Nós tambem estamos sozinhos, podemos sentar junto com você?”

Ele já deu uma olhada discreta por todo o corpo dela e disse “Claro, fiquem a vontade, meu nome é Carlos”. 

Ela então puxou uma cadeira e sentou bem próximo a ele, enquanto eu sentei do outro lado da mesa. Começamos a conversar sobre qualquer coisa relacionada a praia, tempo, chuva e etc. Passado um tempo ela disse:

 “Di, vai no nosso apê buscar uma cerveja pra mim e pro Carlos vai”.

Como um bom cãozinho subi buscar a cerveja para os dois, e resolvi que eu não ia beber para aproveitar cada momento. Quando voltei Priscila estava com a mão em cima da perna de Carlos e eles estavam conversando sobre relacionamentos. Depois de algum tempo ela me pediu para ir fazer alguma coisa mais forte para eles beberem. Subi e fiz duas caipirinhas de vodka. Quando voltei ele tambem estava com a mão na perna dela e riam muito. Assim que cheguei com as caipirinhas, para mostrar minha submissão, a Priscila disse:

 “Di, faz uma massagem em meus pés enquanto eu fico aqui nesse bate papo gostoso” e passou a mão no peito dele.

Fiquei la então massageando os pezinhos da minha namorada enquanto os dois flertavam. Passado algum tempo Priscila perguntou pra Carlos se ele não queria ver como era nosso apartamento, porque diferente do dele o nosso tinha dois quartos. Então subimos nós três. Eu carregando as coisas e os dois na minha frente conversando. 

Após mostrar o apartamento pra Carlos, Priscila pediu pra ele se sentar, enquanto eu faria mais uma bebida. 

Quando eu trouxe a bebida, o bixo começou a pegar. Priscila falou pra Carlos que eu era um namorado bem mansinho e que gostaria de ver ela com outros homens. Carlos começou a rir e disse que estava a disposição a hora que nós quisessemos. Então Priscila falou:

 “Vem cá meu corninho. Ajoelha e pede por favor pra eu realizar sua fantasia.” 

Eu estava adorando aquilo e ajoelhei e pedi pra ela realizar minha fantasia. Ela falou:

 “Agora ajoelha na frente do Carlos e pede pra ele tratar muito bem sua namoradinha”. 

Fiz isso e o Carlos passou a mão na minha cabeça dizendo que eu podia deixar com ele.  Então ele foi na direção da Priscila e tirou a parte de cima do seu biquini, caindo de boca em seus peitos. Priscila passava a mão no corpo inteiro de Carlos, levando um tempo maior em seu shorts. Eles ficaram se pegando e se beijando durante alguns minutos, enquanto eu ajoelhado olhava para aquela cena. Depois Priscila se agaixou e começou a abaixar o shorts do Carlos. De dentro dele saiu um pinto já duro e grosso, de uns 21cm. Ela disse:

 “Nossa. Olha corninho. Isso que é um pinto de verdade. Meu Deus. Vem cá vem. Abaixa seu shorts pra gente comparar.”

 Cheguei perto e mostrei meu pinto que mesmo duro chega no maximo a 12cm. Carlos começou a rir e Priscila segurou um em cada mão. 

“Acho que o pinto do Carlos vai me satisfazer bem mais meu amor. Ele é até mais pesado. Que delícia.”

E caiu de boca no pinto chupando com maestria. Ela disse:

“Senta ali no cantinho e toca uma punhetinha enquanto você assiste a gente. Se eu precisar de você te chamo.” Sentei no canto da sala e passei a apreciar minha namorada chupando uma rola grossa como ela nunca tinha feito comigo. Carlos disse:

 “Parabéns corno. Você tem uma namorada puta que chupa muito gostoso” e começou a foder a boquinha dela. 

Carlos então deitou no sofá e Priscila me disse:

 “Vem cá me chupar e me deixar bem lubrificada pro Carlos vem meu corninho.” Tirei o fio dental dela deixando a mostra pela primeira vez a bucetinha depilada dela para outro cara. Ficamos ali ela chupando Carlos e gemendo enquanto eu caia de boca na bucetinha dela. 

“Que puta gostosa. Que bucetinha bonita” falou o Carlos. 

Depois de algum tempo o Carlos levantou, eu saí da frente e ele posicionou ela no sofá. Ela disse:

?Pega uma camisinha pro Carlos, pega corninho.?

Fui até nosso quarto e voltei com um pacote de camisinhas. Depois de punhetar um pouco o membro dele, ela colocou a camisinha nele e disse:

?Preparado pra ver sua namoradinha sendo fodida por um homem de verdade? Era isso que voce queria corninho?” 

Eu disse que sim e Carlos passou a enfiar aquele pau duro aos pouquinhos enquanto ela gemia baixinho. 

“Vou alargar essa putinha apertada.” Falou Carlos 

Depois que ja estava tudo dentro, ele passou a dar um ritmo mais rapido nas estocadas. Priscila gemia:

 “Ai que delicia de pau. Nunca imaginei que ia transar com um cara delicioso assim.” 

Então eles ficaram nesse vai e vem durante algum tempo delirando de tesão enquanto eu do lado brincava com meu pinto, nao querendo perder nada. Priscila não parava:

 “Olha amor como ele me fode. Presta bem atenção pra ver se aprende algo.” 

Carlos a fodia com maestria e ela não parava de me humilhar.

 “Lambe meus pezinhos enquanto ele me fode vai, agradece sua dona como um bom cachorrinho?

Eu então passei a beijar e lamber aqueles pezinhos bem feitinhos enquanto eles balançavam devido as estocadas de Carlos. Também agradecia por ela estar fazendo aquilo comigo. Priscila então gozou como eu nunca tinha visto ela gozar antes, se contorcendo inteira com muito tesão. Mas Carlos ainda estava longe de gozar e a colocou de 4 pra ele, metendo ainda mais fundo. Priscila foi ao delírio, já dizendo que outro orgasmo estava vindo. Fiquei de frente pra ela e ela me diss: “Me beija enquanto um macho me come. Vai. Me beija e sente o gosto do pau dele na minha boca.” 

Beijei ela e pela primeira vez senti o gosto de pinto na boca.

 “Gostou seu corno?” E fez uma carinha de safada.

Carlos metia na bucetinha dela num ritmo muito bom e então disse que ia gozar. Priscila então disse:

?Goza junto comigo seu gostoso. Goza muito.?

Eles se abraçaram, enquanto Carlos ainda metia, e gozaram juntos gemendo muito alto, parecendo que iam morrer de tesão. Ficaram deitado, com ele ainda dentro dela, enquanto respiravam. Foi aí que eu gozei bem gostoso, depois de ter assistido toda aquela cena. Fui ao banheiro lavar minha mão e quando voltei ela estava deitada no peito dele. 

Depois de alguns minutos Carlos disse que havia gostado muito mas que agora precisava ir embora, e ainda disse que iria ficar ali durante a semana caso nós precisassemos de mais uma sessão de foda. Antes de ele sair a Priscila resolveu fazer a última humilhação comigo. 

?Você não vai agradecer o Carlos da maneira correta como um bom corninho??

Logo entendi o que ela queria e me ajoelhei aos pés de Carlos e disse:

ãobrigado senhor Carlos por ter cuidado bem e dado prazer para a minha namorada?

Eles riram muito enquanto ela passava a mão na minha cabeça me chamando de bom cachorrinho. Ele então foi embora e ficamos só nós dois. Ela me perguntou o que eu tinha achado e eu disse que havia gostado muito. Ela disse que ainda me amava muito mas também tinha gostado bastante da ideia. 

ãe ainda bem que você gostou, porque tem muito mais pela frente?..saindo para tomar banho. Realmente..ainda havia o cara da sunga azul que ela tinha visto na praia…

Se vocês gostaram desse conto comentem e irei postar o segundo conto, contando como ela encontrou o modelo da sunga azul no outro dia. 

Abraços.

Contos relacionados

Várias Rolas Mais Só Uma Era Uma Delícia

Várias rolas mais só uma era uma delícia Meu nome é Bruninha, em agosto de 2008 tinha 20 anos e por incrível que parece ainda era virgem. Estava louca pra dar minha bucetinha logo, não via a hora. Mas estava esperando aparecer o homem certo,...

Reencontro Com Meu Primo

Reencontro com meu primo Bom pessoas, este é o meu primeiro conto,perdoem-me os erros os quais talvez eu os deixe passar sem notá-los e até mesmo pela extensão dele. Tenho lido assiduamente todos os relatos e contos desse site, o que me deixou...

Minha Filha Virou Minha Mulher

Longe ser um conto, escrever para este site, foi a única forma que encontrei de compartilhar experiência tão delicada que estou vivendo e quem se propuser a lê-lo, gostaria muito de uma opinião. De início, vou contar um pouco da minha vida....

Recebendo Pela Carona

Recebendo pela Carona Este é meu primeiro conto, então acho que se faz necessária uma breve apresentação minha. Me chamo Ricardo, sou de São Paulo - Capital, moreno, cabelos pretos com alguns fios brancos surgindo; olhos castanhos...

Eu E Catarina No Rio

Eu e Catarina no Rio Aproveitei um congresso como desculpa, eu combinei com Catarina de passarmos o Final de semana no Rio. Cheguei na sexta, por volta das 8:30 hs da manhã e fiquei no aeroporto Santos Dumont esperando o vôo de Catarina, que...

Minha Princesa Fudeu No Trabalho

Minha princesa fudeu no trabalho Minha esposa trabalha em uma transportadora, no mês passado entrou um encarregado, um homem forte e de 42 anos, passados três dias ele foi até o escritório dela e quando subia a escada se deparou com minha esposa...