Tesuda Do ônibus

Tesuda do ônibus

Tirei férias no trabalho, e resolvi ir pra casa de parentes, no interior. Até ai tudo bem, o melhor foi a volta no ônibus, na rodoviária me despedi da família, entrei no ônibus, meu acento era na janela, percebi que já tinha alguém sentado na poltrona do corredor, era um homem de mais ou menos uns 36 anos, bonito. Pedi licença e me sentei, o ônibus prosseguiu. O ônibus não estava muito cheio, e ainda era dia, quando saiu da rodoviária, em uma viajem de mais ou menos seis horas. Bom pensei que o rapaz ia puxar asssunto, mas que nada, virou pro outro lado e dormiu. Bom deixei pra lá. Na primeira parada, ele desceu,e eu também já estava começando a escurecer, fora do ônibus conversou um pouquinho comigo, mas nada demais, não liguei, entrei e partimos pra mais horas de viajens, ai já era noite, ele então puxou conversa, não sei como, mas logo começamos a conversar sobre relacionamentos e sexo, a conversa foi esquentando, teve uma hora que eu até pedi pra ele falar mais baixinho, se não a pessoa que estava na poltrona da frente poderia escutar, dai ele me deu um beijo na boca de surpresa, eu estava já com tesão, fiquei mais ainda. Ele começou a passar a mão nas minhas coxas, eu estava de saia, pedi bem baixinho pra ele, colocar a mão por baixo da saia, nos cobrimos com meu casaco, para disfarçar, eu estava com muito tesão ele também, pedi pra ele passar o dedo na minha bucetinha, abri as pernas e deixei ele brincar com meu grelinho,hummmmmmm q delícia, minha buceta estava babando, ao mesmo tempo passava a minha mão no pau dele, estava latejando de tão duro,eu queria gozar ali, mas um passageiro do lado da nossa poltrona percebeu o que estávamos fazendo e paramos um pouco. Mas eu queria mais, pedi pra ele me beijar de novo , ele me beijou na boca bem guloso….hummm delicia. Alguns passageiros do fundo, do ônibus desceram, as últimas poltronas ficaram vazias. Não deu outra fomos correndo pra lá, como estava tudo escuro, e só tinha gente do meio pra frente, transamos muito gostoso, ele sentou na última poltrona abaixou ela até o fim, quase na horizontal, eu me ajoelhei na frente dele, e comecei a abrir o zíper da calça dele, abaixei as calças dele e a cueca,o pau dele saltou enorme, duro e bem grosso, chupei, como se chupa um sorvete de creme, lambi a cabecinha do pênis até ele gemer, quando ele já estava louco pra meter, me puxou pro colo dele me sentei de frente, com as pernas abertas, ele levantou meu vestido, e puxou minha calcinha,arrebentando ela, que já estava toda molhada, pedi pra ele erguer meu vestido , mas ele resolveu tirar ele todo, deixei, ele tirou também meu sutiã, fiquei peladinha no ônibus em cima dele, ele chupando meus peitos, chegava babar de tão gostosos que são. beijou muito minha boca , e ao mesmo tempo passava o dedo no meu grelinho, pedi pra ele chupar minha buceta, pois adoro ser chupada, ele abaixou em frente a poltrona, abriu minhas pernas, colocou uma em cada ombro e lambeu e chupou minha bucetona, aiiiiiiiiiiiii delicia, abri minhas pernas ao máximo, pra lingua dele ir bem fundo, e rebolava na boca dele, ele chupou todo o caldinho dela, depois de eu gozar muito na boca dele, ele sentou de novo e falou baixinho agora vou comer você, hummm amei mais ainda. Sentei de frente ele me ergueu pelo quadril, quando desceu, o pau dele deslizou inteiro dentro da minha buceta, foi até o fim, subindo e descendo no balanço do ônibus, eu rebolava, e minha buceta que é enorme por fora, mas bem apertada por dentro, latejava e queimava querendo foder mais e mais. Só teve um passageiro que percebeu, mas nem ligamos, e ele até se masturbou vendo a gente se foder. Não tinha mais ninguém além desse passageiro, tinha mais um mas estava na cabine da frente com o motorista, resolvemos então nos levantar eu segurando na parte de cima do onibus peladinha, meu macho ali sentado no braço da poltrona, só de camisa toda aberta, me pendourou no teto,e eu abracei ele com minhas pernas, ai ele socava o pau bem forte na buceta, enfiando o dedo no meu cuzinho, pedi pra ele comer meu cú, ele me virou de costa abriu meu rabo e primeiro lambeu deixou molhado de baba eu bem empinada, ele foi enfiando o dedo, abrido depois colocou a cabeça do penis devagar foi abrindo enfiado , enfiando até que socou tudo até gemi , não aguentei mais engolir o gemido , eu rebolei junto com ele , e nas curvas ele socava fundo, sempre com dedo na buceta, depois comeu de novo a buceta, gozou dentro dela…hummm.., eu fiz como se faz num cavalo, abri bem as pernas e cavalguei, ele me erguendo até em cima e descendo com força ,e eu rebolando, minha buceta até ardia de tanta força, eu segurando os gemidos, foi tanto gozo que a poltrona ficou toda molhada e melada. No final, desci antes dele, me despedi com um beijo e nunca mais vi aquele tesudo. Quem sabe encontro mais homens a fim de meter , em alguma viagem, você quer??? beijo ….

Contos relacionados

Amantes E Irmãos

Meu nome é Carmem, sou divorciada, tenho 44 anos, um casal de filhos, sou servidora pública. Há quatro anos descobri que meu marido tinha um relacionamento com uma ex namorada tendo inclusive um filho com ela. É um homem trabalhador, honesto e...

Pesadelo

Pesadelo ?AAAHM, NÃO! AAAAAAAHUM? Acordei assustado com seus gemidos, olhei para o lado e ela estava se debatendo. Rolei para perto dela e a abracei. ?Amor! Mozinho, acorda, é um pesadelo!? Ela abriu os olhos, eles sempre me desarmavam,...

Punheta

Olá, meu nome é Henrique sou casado há 20 anos com Aline, somos um casal tradicional, eu moreno claro, 1,81 106 kilos sem vícios, ela morena clara, 1,52 60 kilos, cabelos médios. Como o passar do tempo começamos a fantasiar uma terceira pessoa em nossas...

Dei Pro Irmão

Oi meu nome é livia hj vou contar o belo dia que dei pro meu irmao , isso aconteceu no começo de dezembro de 2015 eu ,  acordei tomei um banho e fui tomar banho de picina , minha mãe e meu pai sairam cedo pra trabalhar , e ficamos so eu e meu irmao pedro...

O Prazer De Ser Corno: Corno Submisso (1)

O Prazer de Ser Corno: Corno Submisso (1) Conforme o relatado em "O Prazer de Ser Corno: Terceira (e Quarta) Vez", nos preparamos para encontrar os dois machos de Mônica naquele fim de semana. Ajudei minha esposa, tanto com as três enrabadas para...

Amor Contado Por Elas Parte 1

Amor contado por elas parte 1 A noite de 1967 era tão mais linda, do que as outras do mês de maio pois eu ha tinha conhecido, e ela era perfeita sob a luz do meu olhar, Hunna era uma linda mulher, seus cabelos desciam pesados em suas costas,...