Amputada

Fim de noite e agente sai na balada para caçar, nessa hora não costumamos ser muito seletivo, mas fiquei intrigado quando vi uma linda mulher sentada sozinha num canto. Aguardei lhe observando durante algum tempo e depois de me certificar de que realmente ela estava sozinha comprei duas cervejas e fui ate lá puxar assunto com ela lhe oferecendo uma. Muito simpática ela me recebeu com um sorriso e aos poucos eu comecei a investir numa possibilidade de nos dois terminarmos aquela noite juntos num lugar mais agradável, muito discreta ela tentou me cortar algumas vezes, mas eu insisti tanto que ela acabou dizendo que sim.

A imprudência no transito causa muitas vitimas fatais, algumas ficam marcadas para sempre e quando ela disse para eu esperar um pouquinho porque ela só precisava ir ao banheiro foi que eu vi o motivo daquela bela mulher estar sentada ali sozinha. Ela tinha uma das pernas totalmente amputada e a sua saia longa junto com o meu desejo de lhe possuir não me fez perceber que a toalha da mesa cobria parte das suas muletas que estavam pelo seu outro lado me deixando completamente surpreso ao vê-la se distanciar.

Enquanto ela foi ao banheiro, ate me passou pela cabeça a possibilidade de me levantar e sair de fininho, mas fiquei sem graça de embora depois de ter insistido tanto para ficar com ela e pelo visto ela ficou mais surpresa ainda quando retornou e me viu sentado lhe aguardando, pois já estava acostumada a não encontrar mais os caras quando retornava. Era difícil imaginar os sentimentos daquela mulher os seus olhos brilhavam um pouco radiante por eu ainda estar lá, mas o seu rosto transparecia o medo por que eu ainda estava e isso significava que nos iríamos continuar a nossa conversa em outro lugar e novamente ela tentou gentilmente me dispensar.

Por ser persistente e não ser muito celetista no final da noite eu não estava acostumado a levar toco e foi só insistir mais um pouquinho para lhe acompanhar ate meu carro no estacionamento. Ela ficava me olhando enquanto eu dirigia e toda vez que eu perguntava o que foi ela sorria simpaticamente dizendo que não era nada ate chegarmos ao motel. Deixamos as muletas no carro e eu subi com ela no colo e entrei no quarto como se tivesse carregando uma noiva, me deitei ao seu lado após repousa ? lá sobre a cama e comecei a lhe beijar, na horizontal ela se movimentava perfeitamente e nem pareia que aquela mulher era uma amputada, em todas as posições ela se colocava sempre mais aberta e receptiva do que qualquer outra mulher agasalhando com perfeição todo o meu membro.

Era a minha primeira vez com uma amputada e eu estava achando o seu sexo delicioso, podia sentir o prazer do meu membro escorregando gradativamente pelo seu corpo enquanto ela comprimia o seu sexo no meu membro, apesar dela estar sempre aberta e ser muito receptiva não tinha como negar que aquela amputada era muito apertadinha, porque ao contrario das outras mulheres ela não tinha as duas pernas para se fechar comprimindo com as suas coxas o meu membro. Esse foi um fim de noite maravilhoso com um triste amanhecer, pois mesmo sendo amputada, sem fazer barulho ela conseguiu se levantar e ir embora me deixando sozinho naquele quarto de motel e agora eu fico rodando pela noite indo de boate em boate sonhando com a possibilidade de reencontrar aquela amputada para poder ter novamente em meus braços uma linda mulher.

Contos relacionados

Sobrinha E Enteada

 Bem eu sou moreno 1,82 sou Casado e minha esposa tem três filhos e mais ainda uma sobrinha que ela cria como Filha . bem meus enteados sâo tranquilos a mais velha tem 13 porem vejo eles como filhos ,porem a sobrinha da minha esposa, vou chamar de...

Um Carnaval Inesquecível !

Um Carnaval inesquecível ! Bom, me chamo Débora. Poucas pessoas sabem de minha opção sexual, poucas mesmo, mas algumas desconfiam. Só que procuro ser bem discreta e não chamar muita atenção. O que aconteceu comigo foi mais ou menos assim .....

Meu Padre Favorito

MEU PADRE FAVORITO - Houve uma época que morei com um padre na casa da paroquia dele, isso lá pelos idos de 1963/64. Um senhor polonês com mais ou menos metro e noventa, calculo eu que ele deveria ter por volta dos seus 65 ou 70 anos. Porque fui...

Primeira Vez A Cinco

Primeira vez a cinco Eu me considero uma mulher bonita, sou loura, olhos azuis, magra, alta, enfim, costumo chamar bastante a atenção por onde passo. No entanto, na época em que aconteceu o que irei contar eu estava com a auto estima em baixa,...

Meu Marido Virou Corno Eu Nao Resisti

Meu marido virou corno eu nao resisti O que passo a contar agora realmente aconteceu, meu nome e Maria (fictício), eu tenho 1,70m de altura, devo ter quase 100cm de quadril, bundão como meu marido fala, cabelos cumpridos e olhos esverdeados. Sou...

A Sobrinha Gostosa

A sobrinha gostosa TENHO UMA SOBRINHA ELA SEMPRE FOI SAPECA ELA SEMPRE SENTAVA NO MEU COLO MAIS DEPOIS  NÃO ACEITEI MAIS PORQUE JÁ SE FORMAVA UM CORPO DE MULHER ELA QUANDO ME VIA CAIA NOS MEUS BRAÇOS COM TUDO PARECE ATÉ QUE...