Submissa Sendo Iniciada

Esta aqui o relato da iniciação de uma sub. Se você tem desejo de ser iniciada, me envie um e-mail [email protected] Meu nome é Renato sou Dom mais ou menos 7/8 anos e moro no litoral de SC.

Sem sub por algum tempo e com algumas viagens marcadas para Curitiba, resolvi entrar no grupo bdsm de Curitiba para conhecer alguma sub para me servir durante minha estadia em Curitiba.

Após conversar com algumas uma me chama atenção por ser inexperiente e estar decidida a aprender e viver algo além da tela do computador.

Parecia que não iria dar certo, porque depois de conhecê-la, todas as vezes q fui a Curitiba estava acompanhado ou era um bate e volta.

Ela aceita o meu convite de vir ate minha cidade para me servir. Fiquei impressionado por sua determinação e coragem. Até chegar me presenteou com algumas fotos muito interessantes, gostava do que via pelo menos fisicamente, sei que ajuda, mas não é tudo o q procuro. Quero ver se tem uma alma servil.

Dia marcado, tudo preparado, hotel, passagem, e horário de chegada. Atrasei por conta do motorista do ônibus dar uma previsão de chegada bem fora do que aconteceu. Mas ela já estava me esperando, sentia ao telefone o seu nervosismo, ansiedade e por incrível q pareça percebia uma vontade louca de servir (percebi que não estava errado)

Primeiro dia escolhi usá-la no motel, com uma suíte temática.

Entramos, percebi q seus olhos brilharam quando viu a grade em volta da cama, as algemas, o quarto preparado para usá-la como eu desejasse. Foi ao banheiro enquanto eu preparava o volume do som o ar condicionado e as cordas, fiquei sabendo depois q entrou no banheiro para dar uns pulinhos de alegria, deveria ter feito na minha frente, teria ficado muito feliz. Tudo preparado, abro uma cerveja e espero ela, faço sinal, ela ajoelha ao meu lado, enquanto explico tudo o que vai acontecer, faço uma pergunta, a cadela erra.. vadia, puta.. apanha na cara.. fico irado.. mando se despir e ficar apenas de calcinha.. sei q sentirá vergonha por estar na frente de um desconhecido, isso me excita..

Preparo as cordas, amarro suas mãos, prendo-a na grade, com mãos para cima, de costa para mim.. sento na cadeira e fico observando, realmente muito bonita de corpo, magrinha, cintura fina, bunda redondinha, seios pequenininhos, perfeita para dono usar.. começa um tapa, dois, três, todos devagar, lento, acariciando o corpo, sentindo a necessidade q ela tem de se entregar, é isto q busco, e não um corpo para usar, mas uma alma para comandar.

Depois do spanking, xingá-la no ouvido, ver como ela esta molhada.. mando ela ficar como cadela e beijar meus pés.. adoro este momento, ela ali prostrada, servindo, totalmente entregue aos meus caprichos. Mando subir, beijar minha coxa.. tiro o pau para fora, o dia todo no trabalho, penso em tomar um banho, mas sinto apenas o cheiro forte do sexo e do desejo.. então decido q ela chuparia assim mesmo.. uau.. q boca.. estava nervosa no inicio parecia meio, mas percebi q chupava bem bastaria o tempo.. provou isso no segundo dia.

Mandei deitar na cama, amarrei as duas pernas para cima na grande, mãos amarradas. Observo a bocetinha dela… q bocetinha perfeita, linda carnuda, convidativa para chupar, já posso dizer q gosto de apreciar a boceta dela deitada assim e quando esta de 4.. realmente linda. Chupei, mordisquei, lambi, enfiei dedos, senti molhada, ouvia ela gemer, lambi o cuzinho, gemeu mais, por alguns minutos me deliciei com ela totalmente entregue.

Mas ela não estava ali para sentir prazer.. lembrei q tinha ordenado não gozar ate me encontrar e fui desobedecido. Meu humor mudou, e chegou a hora do castigo. Algo simples.. ia apanhar na boceta linda dela, para aprender que quem manda no corpo dela é o dono.

Apanhou, apanhou, apanhou.. queria fechar as pernas, não deixei… momento perfeito.. foi quando começou a choramingar, baixinho, pedindo para parar.. mandei calar boca, e falei q podia chorar, coisa q ela fez com gosto.. me deixou excitado, não deveria, eu estava castigando, estava bravo, mas o choro dela me acalmou.. parecia q a correção foi altura da desobediência.. perdoada? Não.. precisava ainda mais.. mais 5 tpas fortes, mas não podia ficar nisso.. sabia q estava dolorida, doida, devia estar ardendo… precisava possuí-la assim.. fui buscar o preservativo.. fiquei bravo pq deu tempo dela se recompor.. mesmo assim.. os últimos 5 tapas com ela contanto e dizendo.. OBRIGADO SENHOR… ao terminar possuí ela ali mesmo.. assim.. toda dolorida, percebi no rosto dela q estava desconfortável.. fiquei preocupado? não.. não precisava ter siso assim se tivesse obedecido. Acalmei, dei colo.. mas agora de 4 pq dono quer gozar, puta desobediente não goza. Foi um gozo intenso, forte come ala ali de 4 totalmente entregue. Posso dizer que ela foi perfeita.. suportou calada. Parece q encontrei uma verdadeira sub.

Contos relacionados

Sensações - Ménage-a-trois

Uma das fantasias de meu marido que no início me deixou preocupada mas que, com o passar do tempo, passou a ser a nossa fantasia era a do ménage-a-trois, mas entre fantasiar e realizar as nossas fantasias, existe uma grande distância. Estávamos indo muito...

A família Trepadeira

Na minha família as coisas sempre fora muito liberais,dentro de casa só andávamos nus e sempre fomos acostumados com o sexo,sou a mais nova e tenho.um irmão mais velho,mais não é ele que me come duas vezes ao dia e sim meu pai que tirou meu cabaço como...

A Diarista Do Sul De Minas

Conheci Najara através de uma anúncio que fiz na internet. Trocamos alguns emails e depois conversamos por telefone mais algumas vezes, ela não tinha pressa. Najara tinha 32 anos, divorciada e não tinha filhos. Depois descobri que trabalhava numa...

Fodendo Mãe E Filha

Fodendo mãe e filha Depois de um longo inverno, cá estou de volta para narrar as minhas aventuras ao longo de minha vida. Se não posto muitos contos é porquê, além de serem verdadeiros, não é sempre que se apresenta uma história digna de ser...

Armei Para Minha Esposa Com Negão

Sempre tive vontade de ser corno, tenho uma mulher linda, loira 1,65m 57 kg e uma bunda linda redonda e empinada. Na cama sempre falei coisas como imaginava ela transando com seus ex-namorados, colocando alguém em nossa cama para deixa-la louca. Assim certo...

Primo Perfeito

O que vou contar é veridico e aconteceu comigo quando eu tinha quase 18anos. Sempre me dei muito bem com o meu primo alemão, Andreas, aliás, como se fosse meu irmão. Na verdade ele nem era meu primo, era enteado do meu tio, mas quando ele e minha «tia»...