Professora Do Sexo

Professora do Sexo

Isto ocorreu comigo quando fazia a faculdade na cidade de Maracanaú-Ce, já transado antes com namoradinhas, mas nunca tinha feito com uma mulher madura. e aconteceu que certo dia fui para escola, sem mais nem menos comecei a prestar mais atenção na professora da faculdade, foi aí que descobrí que ela não possuia apenas inteligência, mas um corpo de curvas sinuosas e lábios carnudos com belos olhos verdes por trás daqueles grandes óculos. ela andava pelo corredor formado pelas cadeiras da sala e foi então que num vacilo a deixei perceber minha excitação, ela fitou o volume em minha calça discretamente e depois foi para frente dos alunos. depois de alguns dias sempre vivendo naquela apreensividade, num dia de entrega de prova, ela viu que apenas eu faltava a entregar, claro que propositalmente, cheguei até a mesa dela para entregar o exame e foi então que ela me rendeu com perguntas:”por que você fica sempre me olhando como se fosse um lobo?”- disse a gostosa de cabelos amarrados e seios bem fartos a despontar de um enorme decote. engulí em seco, mas tomei coragem e respondí: “é porque jamais ví uma mulher tão gostosa como a senhora”. não precisei dizer mais nada, logo ela se levantou com aquela saia apertada nas pernas se dirigindo à porta trancando-a por dentro, ao virar-se já veio puxando o palito dos cabelos e desabotoando o resto da blusa que cobria aquelas duas esculturas. deu uma leve mordida em minha orelha e tirou meu uniforme, viu que eu estava com o pau duro como ferro e se ajoelhou enquanto eu me escorava em sua mesa, puxou minha pica (que já era bem desenvolvida) pra fora e começou lambe-la com aquela boca molhada e quente, logo a professora abocanhou-a de uma vez numa incrível garganta profunda e arrastou aqueles lábios carnudos até a cabeça chupando gostoso e forte onde tem o furinho do cacete, ela fez isso muitas vezes até que ela percebeu pela pulsação forte do meu pau que eu já estava a ponto de gozar. ela levantou,tirou o resto da roupa e sentou-se a mesa me pedindo que eu a chupe, nem fui louco de dizer algo, vendo aquela linda xoxota com os lábios bem salientes e um discreto grelinho em cima de sua entrada já fui caindo de boca nela, passei minha língua várias vezes de baixo para sima e vice-versa, chupei cada lábiozinho gostoso daquela xoxota, um a um, via ela gemer e dizendo: “ai que delícia de língua você tem, aluninho querido!” – “ai que gostosooooo!!!!!” – “aaaaiiiiiii!!!!!”. e eu chupava aquele grelinho sentindo ele muito excitado e durinho na minha língua, envolvia ele com o biquinho da minha boca e sugava-o com muito jeito até que a sentí gozando em minha boca deixando minha cara toda molhada do seu melzinho e quanto mais ela gozava, mais eu enfiava minha lígua naquela xoxota pra extrair lá do fundo aquele precioso líquedo. então ela já possuida pelo tesão, toma minha cabeça e diz: “quero que me coma bem forte agora!” ela se vira e põe as mãos em cima da mesa e me oferece aquele rabo empinado e como não estava mais aguentando o tesão, coloquei uma mão em sua cintura e a outra em seu cabelo e fui metendo meu cacete naquela buceta ensopada de prazer, fiz ela sentir vagarosamente cada milímetro dele adentrando em seu corpo fazendo-a até perder o fôlego por um momento. então começo a fincar firme e forte como ela pediu, eu jogava o corpo dela para trás contra o meu até meu membro rochoso chegar em seu útero causando-lhe uma pequena dor aguda logo despercebida pelo forte prazer que ela mesma sentia. assim ela goza novamente e eu sempre me controlando pra não chegar lá. eu disse a ela: “agora você vai receber essa vara toda dentro do seu cuzinho!” então peguei uma cadeira da sala, encostei próximo a mesa e a professora deitou os seios nela e pôs os pés sobre a cadeira. com minha pica toda lubrificada do melzinho que jorrava daquela buceta, não foi difícil penetrar aquele pequeno orifícil quente e apertado, até passar a cabeça tive que ter uma certa perícia pra não machuca-la muito, mas depois desse obstáculo, pude introduzir calmamente minha clava enrigecida em seu rabo fazendo-a gritar com muita dor, mas logo a dor foi dando lugar ao prazer e em segundos ela já estava me pedindo para arromba-la. enquanto eu metia forte naquele cuzinho ouvindo seus gemidos ofegantes, eu coloquei minha mão por baixo e comei a masturbar seu grelinho, não deu outra, a professorinha mais uma vez gozou desesperadamente na minha mão e dessa vez pude observar seus espasmos mais fortes. não dando mais pra segurar, disse a ela que também iria gozar, então ela disse que queria tomar toda minha porra na boca. e quase não deu tempo, ainda esporrei um pouco dentro do cuzinho dela, mas ela se virou rápido se ajoelhando mais uma vez e abrindo a boca. jorrei três esguichos fortes na sua boca e outros dois mais fracos no seu rostinho onde ela juntou tudo com os dedos levando à boca tudo que não conseguiu engulir! foi incrível!Depois disto nossa relação nunca mais foi a mesma e sempre que podía-mos estáva-mos repetindo a dose e com surpresinhas a mais. hoje 10/01/2010 tenho 32 anos e farei 33 no dia 26. seria ótimo se mais uma vez eu pudesse encontrar minha professorinha até a data de meu aniversário, pois naquela ocasião minha família mudou de cidade e nunca mais a ví. hoje bem mais madura deve estar ainda mais avassaladora!!!

Abraço a todos e obrigado por lerem meu primeiro conto!

Antonio Mendes – [email protected]

Contos relacionados

Massagem Programada

Massagem Programada Massagem Programada Me chamo Caio e faz três anos que tenho um relacionamento estável com Lara. A curiosidade é uma característica de nossa vida de casal, gostamos de apimentar a relação com um filminho, uma...

Comi Duas Amigas Casadas De Curitiba

Bom, sou de Curitiba, 34 anos, bem apresentável, e graças aos meus contos tive oportunidade conhecer várias pessoas, entre casais e mulheres. Sempre ao término de meu contos deixo meu e-mail para casais e mulheres que queiram sexo casual e uma boa...

Delícia Negra

Delícia Negra Eu já contei neste site sobre a primeira vez em que comi um cuzinho bem gostoso, foi quando pulei a cerca e transei com a Vanessa (nome ficticio) da zona leste de São Paulo, no conto "Antes anal a tarde do que nunca". Agora vou...

Duplamente Realizada

Duplamente realizada Duplamente realizada Num belo sábado de sol estou solitária em minha casa, família toda viajando... Som ligado janelas aberta, eis que alguém chama a porta, a principio um desconhecido, logo percebo que se tratam...

Luci A Casadinha Insaciavel

CONTO ÉROTICO HÉTERO  Luci a casadinha infiel, um tesão de mulher Manhã de sábado, me encontrei com a Luci no serviço onde ela trabalha como atendente de uma empresa de telecomunicação, sés horas ela sai na portaria do prédio ainda com o...

Minha Esposa é Uma Cadela

Minha esposa é uma cadela Chamarei minha esposa de Fabiana, ela é uma mulher muito gostosa e fogosa,adora um pau grande e duro antes d casarmos nossas fodas eram calmas, depois que casamos começamos a nos soltar mais ela começou a contar suas...