Me Vinguei E Ainda Gozei

Me vinguei…e gozei

 Me chamo Mauricio e sou de Blumenau-SC.

Antes descrever minha  vingança acredito que vocês devam conhecer o motivo dela.

Minha família sempre foi unida e bem vista pela sociedade até descobrimos que meu pai,que era caminhoneiro,tinha outra família….Justo ela .Mulher  tão dedicada que vivia para ele e a família.

Minha mãe não agüentou a traição e depois de um divórcio conturbado, vivemos momentos bastante tristes de brigas. Eu tinha 9 anos e alimentei um ódio mortal por meu pai e nas poucas vezes que ele vinha nos ver .sempre acabávamos discutindo.

Sempre quis me  vingar ,tanto dele quanto da mulher que vivia com ele . Sim ela era culpada  também , porque sabia ,que meu pai era casado.

Ela morava em Fortaleza e até onde sabíamos ( através de notícias de meus avós e tios)mandava em meu pai e tudo o que ele recebia entregava pra ela.Bem feito para ele,mas ruim para nós que nunca recebíamos ajuda dele.

Depois de uns anos minha mãe morreu de depressão e ele nem sequer veio para esse momento. 

Passou um tempo  sem saber noticias dele e eu segui a tranqüilo com minha vida .Até que recebi uma ligação de meu irmão me informando que nosso pai estava arrependido e queria nos ver.

Não queria ir mas meu irmão me pediu tanto que resolvi ir com ele e sua esposa.

Ao chegarmos em Fortaleza já era noite .Fomos recepcionados por um irmão de minha?madrasta?.Ele nos levou de carro até o bairro onde meu pai morava.

Ao chegarmos na casa de meu pai,ela veio nos atender sorrindo.

Meu pai estava sentado na cama com as pernas enfaixadas e qual foi a nossa surpresa quando ele nos disse que tinha quebrado as duas pernas  .

Na  verdade ele se aproveitou disso pra tentar juntar o que restou da família,já que vivia só com a atual mulher.

Por dentro fiquei puto  ,mas já que estava lá e meu pai nos tratava super bem, resolvi aproveitar . Já era tempo de por um basta na raiva que sentia.

A pós a janta conversamos  bastante enquanto bebíamos  cervejas,pude perceber que minha madrasta era boa de gole. Devia ter sido uma dessas vagabundas de BR quando meu pai a conheceu. Lá pelas tantas ela saiu pra tomar um banho e que já estava tonta.

Como já esta a ficando tarde e meu irmão e sua mulher estavam cansados , resolveram  irdormir.

A casa só possuía dois quartos e sobrou pra mim  ficar no sofá da sala.

Falei para  a Maria ( que por coincidência era o nome de minha mãe também) assim que ela saiu do banheiro, que iria tomar um banho pois fazia muito calor.

Saí  do banho só de calção branco e  vi ela arrumando o sofá .

Pedi desculpas pelo incomodo.

Ela me olhou da cintura e fixando o olhar no meu tórax e disse que não tinha problema já que  me considerava como  seu filho.

Perguntei onde estava meu pai e Maria me informou que tinha deitado e já devia estar dormindo por causa do remédio que tomava.Ela me pergunta se eu queria  mais uma cerveja já que estava tão quente.Dei uma risada e concordei  em tomar mais algumas cervejas e não só uma.

Ela mostrou ficar feliz e me falou que eu era como ela.Forte pra bebida.

Quando a gente esta bêbado tudo fica legal.Esqueci o passado  e conversamos bastantes  futilidades.  As vezes eu coçava meu pau ,pois a cueca que usava era um pouco apertada.Ela observava e dava um sorriso safado.

Falei que no sul não era tão quente e que em casa no calor costumava a ficar mais a vontade

Foi então que ela me perguntou por que eu não ficava só de cueca já que estava tão quente.

Disse que não ,pois ficaria sem graça.

Ela insistiu afirmando que eu era seu enteado e que não teria problema nenhuma.

Olhei admirado e como já estava meio grogue concordei  e fui abaixando o calção .

Continuamos a beber  e Maria acabou dizendo que me achou muito lindo e que eu devia viver cercado de garotas.Respondi que tinha umas peguetes,

Ela bêbada me confessou que fazia tempo que não namorava pois meu pai não dava mais no couro.Sorri por dentro e pensei:Bem feito, quem manda trais minha mãe,

Fiquei imaginando meu pai comendo aquela safada e meu pau começou a ficar duro.

Como minha cueca era apertada não tinha como disfarçar o volume.Tentei achar um  almofada pra colocar em cima e como não achei me levantei e já ia colocando o calção quando ela me  impediu (segurando o calção )dizendo que era normal e que não era pra mim me incomodar com isso.

Sentei de novo e ela maliciosamente me fala que alem de bonito devia ser bem dotado.

Eu brincando falo: -Isso porque vc não viu ele duro.

Depois que disse aquilo pedi desculpas  envergonhado.

Ela deu uma risada e me pediu pra mostrar meu pau, pois ,tinha ficado curiosa pra saber se era maior que do meu pai.

Perguntei se ela queria mesmo ver.

Quando ela fez sinal com a cabeça , levantei do sofá e coloquei meu pau pra fora da cueca.

Perguntei se era maior que de meu pai.Maria me provocou respondendo:

– Mole sim. Agora duro eu não sei.

Bem se ela queria mesmo saber ,brinquei, teria que me dar uma ajudinha.

Qual não foi minha surpresa quando ela levanta do sofá  e pega  no meu pau 

Maria segurava meu cacete com as duas mãos admirando.

Perguntei se duro , também era a maior que do meu pai.

Ela me olha, dá uma lambida na cabeça dele e fala:- Maior, mais duro e mais grosso e gostoso.

Colocou a cabeça de meu pau na boca e começou a chupar , dando umas lambidas no saco e voltando a por ele na boca.

Deitei no sofá e Maria veio por cima de mim. Ela sabia mesmo fazer um  boquete   e comecei a entender por que meu pai ficou com ela. 

Eu tentava gemer baixinho pra ninguém escutar.    Aquele clima de safadeza, misturado com o perigo de ser pego em flagra  estava me deixando louco de tesão.

A putinha chupava e punhetava meu cacete com maestria de quem sabia fazer um homem gozar de verdade.Acabei gozando na boca dela que engoliu tudo.

Maria queria mais e começou  me chupar de novo.Meu pau ficou duro e ela ,louca de vontade me diz que iria senta e cavalgar nele.

-O teu pau é mais gostoso do que do teu pai. Mas agora quero ver se você mete tão bem como ele.

Ela levanta o vestido ( vejo que a safada estava sem calcinha,ou seja,já tinha segundas intenções) e senta rebolando no meu pau.

Meu pau vai sumindo dentro daquela gruta úmida e quente. Sinto quando meu caralho  entra todinho  e meu saco bate na bunda dela.

Levanto ela  sem tirar meu pau e coloco ela de quatro no sofá .

Na minha cabeça começam a surgir cenas do passado e então meto meu pau com mais força. Tenho que tampar a boca dela pra abafar os gemidos . Meu cacetão entrava e saia. Eu tirava ele e enfiava sem dó naquela xota que era comida por meu pai.

Eu xingava ela baixinho e dizia que ia afundar meu pau  na xota dela  até ela gozar nele.

Ela chorava e gemia, dizendo que queria  mais , que eu era muito gostoso.que meu pau era quente e grosso, que  não estava mais agüentando e que ia gozar.

Castigava  sem dó, mostrando  que eu era muito melhor que meu pai, em tudo e que ela merecia sofrer por ter causado a separação de meus pais.

Metia meu pau com força e tirava. A imagem do corno do meu pai, dormindo tranqüilo ,sonhando,enquanto eu fodia a mulherzinha dele me deixava com mais tesão ainda.

Tirei meu pau duro e bati no rosto dela mandando ela disser que era minha putinha e que faria o que eu quisesse. Maria resmungava e eu dizia que só meteria de novo se ela falasse aquilo pra mim. Como ela estava gostando, repetia o que eu mandava.

Humilhava sem pena e toda vez que ela dizia que ia gozar,tirava meu pau e ela implorava pra mim meter de novo.

Quando enfiei meu pau de novo senti que ela gozava.

Continuei a meter e depois de muito tempo suando e fudendo  a vagabunda ,falo no seu  ouvido :-Vou encher sua buceta  de  porra.

Ela sem pudor me diz pra gozar dentro.

A porra explode de meu e vai bem no fundo.Gozei e acabei dando um urro de tesão.

Nunca tinha gozado assim.Vi  a porra escorrendo sobre as pernas da vadia e a buceta vermelha de tantas metidas.Sorri feliz.

Caí no sofá e Maria sugou as gotas de porra limpando meu pau .

Visto o calção e pergunto se  ela se tinha gostado.

A puta me diz que foi a melhor foda que tinha feito.

Sorri  e pergunto se meu pai tinha feito ela gozar assim.

Ela faz que não com a cabeça  e me confessa que fazia uns 10 anos que não trepava e vivia só com  masturbação.

 Coloquei meu pau pra fora do calção e mandei  ela dar um beijo de boa noite nele antes de dormir. 

Ela fez o que mandei e foi dormir.

Bem não era o que eu tinha planejado…Mas de certa forma me vinguei…e gozei.

Contatos;

[email protected]

Contos relacionados

Anal. (como Tudo Começou).

Anal. (como tudo começou). Ola! Sou eu a Jaque. Para quem não leu meus contos anteriores, sou casada, maridão voyer, ruivinha cabelo curtinho estilo Channel, pele bem clarinha, coxas lindas e bem torneadas bumbum grande sem exagero, seios...

Meu Amor

Meu amor Quando você beijou minha boca, foi como se quisesse invadir meu corpo. E invadiu meu ser. Seus lábios andaram pelo meu corpo. Sugaram meus peitos. Deixaram ali manchas roxas. Seus beijos travestidos de carinhos sugaram meu clitóris,...

Santinha Ou Putinha?

Santinha ou putinha? (Os nomes são fictícios)Tenho uma turma de amigos, e a cada seis meses organizamos uma festa em algum local bem grande,daqueles que têm alojamentos, para podermos receber mais pessoas.O intuito é realmente aumentar o...

Uma Suruba Gostosa

Sempre no trabalho, via Michel, o servente de pedreiro e continuávamos nos encontrando. Abri o jogo com ele e falei sobre o Álisson. Pensei que ele fosse ficar com raiva de mim e nem quisesse mais me ver. Para minha surpresa, a reação dele foi outra:...

Enteada não ? Sobrinha

Não via o meu irmão desde que eu me mudei para Floripa, raramente nos falávamos por telefone e foi uma grande surpresa quando ele me ligou dizendo que estava me aguardando na frente da minha casa. Depois da separação eu havia optado por viver só já ele...

Assediada No ônibus Por Uma Lésbica

Olá, me chamo Ana, tenho 29 anos e este é o meu relato erótico. Tudo que é aqui narrado aconteceu de verdade quando eu tinha 20 anos em Curitiba, aonde morei nessa época. Eu tinha 20 anos quando isso aconteceu e estava no primeiro período da...