Galáxia De Prazer Anal

Eu viajava muito a trabalho, e só estava em casa aos sábados, domingos e nas segundas. Eu tinha quarenta anos e ela trinta e cinco. Sentia tanta falta de minha mulherzinha morena e baixinha, de seios duros e pequenos, com mamilos escuros e grandes. Sem falar nos pequenos lábios da buceta, marrons, e no seu grelo grande.

Sua bunda era a fonte dos meus desejos, era minha tara. Quando eu abria com carinho suas nádegas e via aquele cuzinho escuro, como se fosse uma galáxia de prazer para mim e para ela -, meu pau subia logo. Tenho um pau de tamanho apropriado para entrar naquela galáxia ? nem grande nem muito pequeno: o ideal.

Acho que por isso dizem os amigos e familiares (sem saberem desses detalhes que conto aqui), que somos um casal ajustado.

Afinal, estamos juntos há dez anos e sem filhos.

Mas voltemos ao sexo. A gente se acostumou a transar assim, sem variações e ela que me chamava:

– Querido, sinto fogo, vamosó ? Já tinha tomado banho, usando sutiã e calcinha, seu corpo escondido num roupão vermelho.

– Vamos. ? Meu pau já duro, ia ao chuveiro, lavava a roupa impaciente. Depois eu vestia um calção curto de pijama e uma camisa.

Na cama, a televisão ligada, o ar condicionado também, até parecia que um enganava o outro é ou fingia que não estávamos doidos para meter:

– Vou desligar a lâmpada e acender o abajur.

– Querida, me dê um beijo na boca antes.

E vinha aquele beijo molhado de língua…

Ela acendia o abajur, e de costas para mim, tirava o roupão. Ela sentava na cama, tirava o sutiã e se virava de lado, eu já de pau para fora do calção, ela olhava de lado fingindo que não via eu mexendo no pau duro.

Eu via o seu peito com bicos duros. Ela tirava a calcinha e vestia a camisola curta. Eu guardava o pau duro.

Prezados leitores, não se esqueçam: dez anos nesta rotina boa!

Eu fazia ela gozar primeiro: beijava seus mamilos durinhos, descia até as coxas, metia a língua no seu grelo, e chupava delicadamente como se fosse um pequenino pau. Eu também enfiava no seu cuzinho só a ponta do dedo.

Ela gozava e se estremecia toda, beijando minha boca.

Depois era a minha vez.

Ela se levantava da cama, pegava o Ky gel e me dava, dizendo com voz de mandona:

– Vai, come meu cu é isso que tu queres mesmo.

Ela deitava-se de bruços na cama, botava um travesseiro grande debaixo da buceta e mandava:

– Começa logo, meu cu tá piscando muito e forte.

Eu lambuzava o pau e seu cuzinho com o Ky e começava o serviço:

Primeiro abria suas nádegas, depois devagarzinho ia enfiando a cabeça do pau. Parava. Seu cu apertava a cabeça do meu pau. Eu metia de novo até o talo e tirava a rola. Ela gemia:

– Hum… Tá doendo…Bota mais…

Aí eu metia tudo e quando eu gozava, sentia o seu cu apertando meu pau.

Ela dizia no fim.

– É tão bom sentir tua porra quente no meu cuzinho.

Contos relacionados

A Empregada Que Tirou Minha Virgindade

A empregada que tirou minha virgindade Em 1958 mudamos para Guaratinguetá no vale do Paraíba, meu na época trabalhava com TV e foi transferido de São Paulo para ajudar na implantação do sistema de UHF e levar televisão para toda aquela...

Marcelino - O Primeiro

A ESQUADRILHA DA FUMAÇA veio fazer uma apresentação para comemorar o aniversário da minha cidade. A população se reuniu num clube da cidade, de onde era possível assistir às manobras. Durante o evento, encontrei-me com o Carlos, um conhecido...

Armei Para Minha Esposa Com Negão

Sempre tive vontade de ser corno, tenho uma mulher linda, loira 1,65m 57 kg e uma bunda linda redonda e empinada. Na cama sempre falei coisas como imaginava ela transando com seus ex-namorados, colocando alguém em nossa cama para deixa-la louca. Assim certo...

Luize Trabalhando

Luize trabalhando Olá a todos!! Mais uma vez estou aqui para contar uma das aventuras de minha esposa deliciosa e safada. Mais uma vez espero que vocês, machos tarados, tenham inúmeras sessões de punhetas pensando nos momentos com elas. ...

Tirei A Virgindade Com Meu Primo

Tirei a virgindade com meu primo Olá, meu nome é June, branquinha dos olhos azuis esverdeados, cabelos  bem loiros naturais, corpinho de academia e natação. Seios médios, mas bem durinhos, bumbum arrebitado, e por conta de quadris largos,...

Meu Primeiro Sexo Anal

Meu primeiro sexo anal Bom me chamo Bruna, tenho 25 anos, 167 de altura e peso 65 kg, sou loira de olhos castanhos,. Vou relatar como ocorreu minha primeira experiência no sexo anal, sou casada a 7 anos e meu marido fax um sexo gostoso mas meio...