Céu Estrelado A Levou Ao Delírio

Céu estrelado a levou ao delírio

Meu nome é Júlio, sou médico, 1,70, um corpo normal, e o que relato em seguida aconteceu quando estava de plantão em uma Ilha no litoral de São Paulo.

Os plantões que faço no litoral, encerram-se às 18 horas e como ficam longe de casa, passo a noite em uma pousada, para seguir com o trabalho no dia seguinte. Sempre que saio da unidade de saúde, vou ao trapiche observar o pôr do sol, imperdível. Naquele dia em especial, o sol caía e produzia um sem número de cores, indo do amarelo ao vermelho com várias nuances, os raios solares escapavam entre as nuvens que se coloriam e que, junto com o som do mar, o cheiro de maresia e o calor, davam uma sensação indescritivel de prazer e alegria de viver. Enquanto me maravilhava com a linda paisagem, soltei um suspiro e falei em voz alta,” que coisa mais linda”. Uma voz ao meu lado disse, ” e como “.

Quando olhei em direção à voz, uma loira, cabelos compridos, molhados, lábios grossos, sentada, debruçada na mureta, olhando o pôr do sol e seus olhos cor de mel, refletiam a côr do final de tarde. Apresentei-me, ela virou o rosto em minha direção, seus cabelos rasparam meu braço e seu aroma me entorpeceu. Deu-me sua sedosa mão que cumprimentei com o maior prazer.

Conversamos sobre as belezas do mar, daquele belo final de tarde, observei seu corpo, belos seios, cintura fina, um quadril maravilhoso, um olhar penetrante e verdadeiro. Ela solteira, quando lhe disse ser casado, percebi uma certa frustração, que logo dissipou-se quando começamos a rir das histórias um do outro. O tempo passou e quando vimos, a noite caía. A convidei para irmos comer alguma coisa em um barzinho na beira da praia com música ao vivo. Ela topou, mas pediu para ser em uma hora, iria a sua pousada, tomar um banho e se arrumar. Fiz o mesmo e me dirigi ao barzinho aonde combinamos. Ela demorou, pedi uma cerveja e fiquei na varanda do bar, ouvindo MPB e fitando o horizonte. Sua demora me fez imaginar que havia desistido e compreendi, afinal, uma bela mulher como aquela não iria querer gastar sua noite na Ilha com um homem comprometido. Estava entretido, curtindo o som, a brisa no rosto, pensamentos longíquos quando meus olhos foram tapados com mãos sedosas. Senti o aroma, meu coração disparou, segurei suas mãos e disse seu nome, Paola. Ela soltou um risinho, desculpou o atraso que logo se justificaria. Ela estava um estouro. Os cabelos soltos, um top branco, uma saia florida até quase os joelhos, sentou-se, serviu-se de cerveja e me olhou. Um sorriso maroto me fez ousar. Segurei sua mão e lhe disse o quão linda ela estava e que temia que ela não viesse. Ela disse nem ter pensado em não vir, que me achou divertido, interessante e inteligente.

Passamos várias horas naquele barzinho, conversando, rindo, cantando, dançando quando a música permitia e em sambinha muito gostoso, segurei seu corpo junto ao meu e não pude conter a ereção, que deliciosamente roçava suas coxas, minha mão espalmada em suas costas, puxava contra mim e meu membro encaixava nela. Seus olhos denunciavam o prazer que estava sentindo, mordia os lábios, passava a lingua neles, ria, dançava, e assim ficamos até sairmos do bar.

Saímos de lá com a sensação de termos nos divertido muito, mas eu estava sentindo um gostinho de quero mais. Começamos a percorrer pelas trilhas da Ilha, em direção às pousadas, quando a convidei para ir comigo até uma praia pequena, aonde queria levá-la para ver as estrelas. Ela gostou da idéia e fomos até lá. Quando chegamos, não havia ninguém e a levei até o canto da praia, pãoximo ao mar, um local cheio de pedras grandes. Nos encostamos em uma destas pedras e paramos para olhar aquela beleza. deixei-a de costas para mim, abracei e comecei a mostrar as constelações. Meu pau endureceu e entrou em contato com suas nádegas, pressionei, ela não relutou. Minha voz embargava de tesão até que ela se virou e me beijou.

Nossas línguas se encontravam, chupei seus lábios, desci com a minha lingua em seu pescoço, seu cheiro era enlouquecedor, tirei seu top e seus seios se mostraram rijos, maravilhosos. Passei minha lingua neles, em torno dos mamilos, chupei, mordisquei. Ela soltava gemidos, desci, ergui sua saia, tirei sua calcinha e comecei a lamber suas coxas. Coloquei-a sentada na pedra, suas pernas abriram, lambi sua virilha, depois a outra, sua xana liberava um aroma de desejo, passei minha lingua em seu clítores, desci entre os grandes lábios, chupei um a um até penetrar minha lingua entre eles. Enfiei minha lingua inteira, entrando e saindo, seu corpo estremecia, sua pele arrepiava, seus gemidos viraram hurros e ela gozou em minha boca.

Meu pau, duro, grosso, 20 cm, não queria outra coisa a não ser penetrar aquela buceta molhada e deliciosa. Passe a glande em seu clitores, entre os grandes lábios e penetrei. Abracei-a com força e meti fundo, tirando e enfiando lentamente. Beijei sua boca, sussurrei o quanto ela era deliciosa, ela gemia, e eu entrando e saindo, com mais força, mais rápido até que pedi à ela para olhar para o céu que estava extremamente estrelado. E, com a mistura do meu pau lhe fodendo com força e aquela visão universal, gozamos intensamente.

Ficamos abraçados um bom tempo, nos vestimos e fomos para sua pousada, aonde transamos a noite toda.

Nunca mais nos vimos, mas sempre me lembro com o maior tesão daquela noite estrelada.

Julio

Contos relacionados

Um Swing Diferente

Há algum tempo que eu e o meu marido temos um post num site de relacionamento, são inúmeras proposta que nos temos que filtrar ate acharmos alguém com quem sentimos alguma afinidade. O marido desse casal com quem saímos nessa ultima vez ficou alguns...

Saindo Da Rotina

Saindo da rotina Há quase 2 anos de idas e vindas, minha relação com Murilo já estava um pouco desgastada, o sexo com ele não me atraía mais, ainda mais porque ele nunca foi dado a novidades na cama, quem inventava era eu para dar um up na...

Mestiça Carente

Olá, me chamo Adriane, tenho 29 anos, mestiça, 1.55 de alt, não sou magra nem gorda, tenho um corpo ideal, peitos médios e um bundo bem farta! Bem vou relatar uma história real, aconteceu comigo em 2011. Sou casada, meu marido e eu passávamos por um...

Um Presente De Primo

Um presente de primo Ola meu nome e julia tenho 21 anos e vou contar a minha historia pra vcs. Eu nao conhecia meu primo ele morava em outra cidade e minha familia era um pouco distante da minha tia mas ai eu resolvi unir as familias entao entrei em...

Meu Sinhozinho Malta

Existem situações inusitadas quando se trata de sexo, a famosa química, as vezes pode nos colocar em verdadeiras situações inusitadas Como já disse em um dos meus escritos, sou uma mulher madura muito comum, não sou malhada, carrego quilos a mais,...

Priminha Peituda Com Cara De Santa

Tenho 21 mas estou contando uma história de quando eu tinha 17, eu morava num sítio mas tive que mudar pra cidade por necessidade, fui morar na casa do meu irmão onde morava a mulher dele que tem um filho e também morava a irmã da mulher dele,  que é...