Delícia Negra

Delícia Negra

Eu já contei neste site sobre a primeira vez em que comi um cuzinho bem gostoso, foi quando pulei a cerca e transei com a Vanessa (nome ficticio) da zona leste de São Paulo, no conto “Antes anal a tarde do que nunca”. Agora vou contar sobre a segunda vez ou melhor sobre a segunda mulher deliciosa que enrabei. Apesar de ser a segunda parceira, foi tão deliciosa ou mais que a primeira. Ela mora na mesma rua em que eu morava,mas não sabia nada sobre ela. Eu sempre a via desfilando. Negra, alta, cintura fina, seios pequenos e bicudos, quadril exg, grande mesmo e uma boca carnuda que só de ver já ficava imaginando ela chupando meu pau. Quando a via passar ficava observando seu rebolado, que delicia. Um dia não resisti, fui ao banheiro e me acabei de tanto me masturbar, bati 3 punhetas em homenagem a ela.

No dia seguinte fui prá rua no horário de sempre e fiquei imaginando o que fazer prá chamar a atenção dela, puxar assunto. Quando ela se aproximou eu disse simplesmente “bom dia!”. Ela respondeu com um sorriso meigo e olhando meio de canto que me deixou excitadíssimo. No outro dia pensei, tá mais fácil agora, vou ousar.

Levei um chocolate no bolso e a esperei depois da esquina (prá não ficar muito exposto aos vizinhos).

Abri o chocolate bem na hora em que ela passava, cumprimentei e ofereci um pedaço do chocolate e ela respondeu: “Só se for na boca”. Meu pau ficou duro na hora e fez muito volume na calça, a danada percebeu e deu um sorriso. Então levei o chocolate na boca dela e ao invés de morder, ela numa abocanhada só, chupou o chocolate de cima em baixo. Quase gozei ali mesmo. Que delícia…

Após a chupada ela lambeu os lábios e disse: “Chupar é mais gostoso do que morder…”

Então não me segurei e disse, tenho uma barra de chocolate branco bem maior do que essa. Você quer? Quero sim, disse ela e me deu o número do celular. Liguei prá ela algumas horas depois e confessei que já faziam dias que desejava falar com ela e prá minha surpresa ela também. Ela me perguntou o que mais tinha me atraído nela. Respondi que é inevitável desejar ela toda, mas a bunda enorme e gostosa e a boquinha me deixavam de pau duro, louco prá pegá-la de 4.

Então combinamos o dia e a hora. Chegando no motel começamos a nos beijar ardentemente deitei-a na cama e fui tirando sua roupa, ela usava uma bela lingerie de renda preta, a calcinha era um shortinho de renda que entrava suavemente no vão da bunda, deixando parte da bunda de fora…fiquei mais louco ainda de tesão. Puxei o sutiã de lado e comecei a chupar os seios dela e brincar com o biquinho passando a língua molhadinha bem na pontinha e em torno dele e as vezes abocanhando e chupando os seios dela.

Minha mão alisava sua buceta por cima da calcinha enquanto a outra acariciava sua cabeça, seu rosto e puxava o cabelo dela e a cabeça prá beijar o pescoço.

Deitei-a de bruços, tirei o sutiã dela, tirei a calcinha dela e pedi prá empinar aquele rabo maravilhoso, caí de boca no cuzinho dela, lambendo chupando dando um tratamento especial enfiando a ponta da língua. A danada piscava o cuzinho e contraía a bunda no meu rosto de tanto tesão.

Comecei a enfiar um dedo e depois coloquei o segundo…parecia que não tava pondo nada pois ela só dava uns gemidos baixinhos de tesão…de repente ela disse…mete logo seu pau que eu não aguento mais de tesão quero gozar com teu pau no meu cú. Ela já estava acaríciando a bucetinha dela.

Não pensei duas vezes encostei a cabeça na entrada do cuzinho dela e coloquei de uma vez até o final. Com a voz meio trêmula ela gemeu bem alto quando eu enfiei. Segurei com uma mão na cintura dela apertando bem firme e com a outra segurei os cabelos dela puxando prá trás e comecei a enfiar e tirar bem rápido e bem forte…ela gemia gostoso e bem alto, me chamando de cachorro, dizendo, vai arromba meu cu seu cachorro…ordinário…Ouvir isso me dava mais tesão e fazia com que eu metesse mais forte e mais rápido ainda. Ela começou a rebolar loucamente no meu pau e disse tô gozando. Então quando percebi que estava passando o orgasmo dela comecei a ir mais devagar prá acompanhar o ritmo dela, porém enfiava com firmeza…ela foi ao delírio…quando ela terminou de gozar eu disse que queria gozar também.

Ela então sentou no meu colo enfiando meu pau no cuzinho dela e começou a subir e descer eu já estava com o pau vermelho de tanto meter e o cuzinho dela também. De repente ela saiu de cima e começou a chupar meu pau, massageando minhas bolas e quando gozei ela se deliciou com meu gozo espalhando-o pelos seios e rosto. Foi uma delícia e roulou muito mais, só que fica prá próxima. [email protected]

Contos relacionados

A Vizinha E A Tela Da Cerca

A vizinha e a tela da cerca Em 1992 por ser filho de policial militar fomos obrigados a morar numa cidadezinha chamada Maravilhas, bem pequena no interior de minas gerais. Estava com 18 anos, quando cheguei na nova casa que era cercada de tela e...

Mão Amiga No Trem

Me chamo Michel, sou casado, nascido em 1993. Tenho Fetiches com homens casados, maduros, machos, safados e mandões. Diariamente pego o trem em Guainazes sentido Luz para ir para o trabalho. Certo dia, na mesmo rotina, peguei o trem lotado em guainazes e a...

Putaria Na Emissora De Tv

Putaria na Emissora de tv Todos os nomes são ficticios pra preservar as indentidades ok. Emissora nota 1.000 (parte 1) Olá,meu nome é Marcelo e o que vou lhes contar aconteceu em abril desse ano de 2010.trabalho com iluminação em uma...

A Sogra 

A sogra  Cansada de ser dona de casa, ela fez um curso de massoterapeuta e gastou ate as suas ultimas economias para montar um pequeno consultório, seis meses depois meu sogro parecia insatisfeito com a sua independência financeira e as...

Irmão Perfeito

Irmão perfeito Olá, meu nome é Gabriela, e moro no interior do Rio Grande do Sul. Bem, sou morena, cabelos pela cintura, magra, bumbum médio e seios grandes. Minha mãe se casou recentemente com meu novo padrasto, o qual tem dois filhos,...

Amiga safada da cidade

Nasci no interior de minas gerais, na roça mesmo, minha vida era ajudar minha mãe com as tarefas do lar,  estudei em uma escola de zona rural e foi ali, com 15 anos que conheci meu primeiro namorado,tinha que ser escondido pois se meus pais...