Eu, Minha Irmã E Meu Cunhado

Eu, minha irmã e meu cunhado

Minha irmã me confidenciava os seus relacionamentos e isso me deixava muito excitava ao ponto de eu ficava toda molhada só de imaginar o que ela me dizia e ela havia acabado de comentar que o seu novo namorado tinha uma pica enorme. Nos dias que se seguiram era como se eu estive-se hipnotizada pos era o Caio se aproximar e os meus olhos miravam direto no seu volume querendo conferir se tudo aquilo que ela me dizia era real. 

No inicio de dezembro de 2009 meus pais foram passar as férias na casa de praia, eu e a minha irmã não fomos porque iríamos prestar vestibular. Focada nos estudos eu mau saia de casa, já a minha irmã aproveitou a ausência dos meus pais para curtir a noite com o seu namorado. Eu estava com a cara enfiada no livro quando ela chegou de madrugada acompanhada do Caio, perambulou de um lado para o outro da sala querendo saber se eu não iria dormir e como eu entendi que a intenção dela era ficar a sós com o Caio, fiz um comentário de reprovação ao seu comportamento e acabei subindo para o nosso quarto, não demorou muito e logo a minha irmã e o Caio também subiram.

Tentei me manter focada nos livros mas desviava constantemente os meus olhos na direção deles que durante algum tempo se mantiveram comportados trocando apenas alguns beijinhos. Aos pouco fui percebendo uma mãozinha aqui, outra ali e a minha irmã puxou uma coberta para se ocultar e é claro que na mesma hora eu censurei lembrando a ela de que já era tarde e ele precisava ir. Sem graça ele tentou se despedir enquanto a minha irmã lhe segurava, suplicando por mais um beijinho, e naquela de só mais um ela começou a lhe beijar o peito, foi descendo e o beijou varias vezes sobre a calça, abriu o seu zíper e puxou a sua enorme pica para fora, lhe deu alguns beijinhos e depois disse que agora ele podia ir. Meus olhos estavam fixos naquela pica que eu nem piscava de tanto tesão, minha irmã me olhou sobre seu ombro dizendo que o Caio não ia conseguir ir embora só com um beijinho e enquanto batia com aquela enorme pica no seu rosto, ela bancava a inocente me perguntando o que eu achava que ela deveria fazer.

Os minutos que antecederam a uma resposta pareceram uma eternidade e a minha irmã aproveitou o meu silencio para agasalhar aquela pica na sua boca, eu a observava atentamente desejando estar no seu lugar e enquanto ela o chupava, ele me olhava fixamente como se me deseja-se da mesma forma. Meu livro estava ficando todo retorcido de tanto que eu o apertava inconscientemente, tentei desviar o meu olhar mais o barulho molhado da sucção que ela fazia e os gemidos de prazer que ele soltava me deixava completamente desorientada, baixei os meus olhos de volta ao livro sentindo a minha xoxota latejar de tanto tesão quando ele começou a lamber a xoxota dela, ela gemia alto o chamando para lhe foder e ele prontamente a obedeceu. Caio a deitou na minha cama sobre os meus pés, arqueou as suas pernas e a possuiu, cada vez que ele entrava forte ela gemia apertando os meus tornozelos e era como se ele estive-se metendo em nos duas ao mesmo tempo e quando ele saia a deixando em êxtase, eu ficava tremula desejando que ele a invadi-se novamente para sentir a pressão das suas mãos me puxar. 

Eu estava usando uma camiseta básica e um short largo que eu uso para dormir enquanto o Caio enterrava toda a sua pica na xoxota da minha irmã. Ela me puxou pelas pernas e eu escorreguei pelo lençol ficando quase sentada na sua cabeça e ele aproveitou que as minhas pernas estavam abertas na sua frente para ficar mordiscando a minha xoxota sobre o short, enfiando a sua língua entre a abertura do meu short e lambendo a minha calcinha que eu logo tratei de deixar encharcada com vários espasmos de uma deliciosa gozada, o Caio quando viu isso ficou tarado e engatinhou rapidamente sobre a minha irmã com um desejo enorme de me possuir que nem me tirou a roupa, jogou a minha calcinha para o lado e me invadiu a xoxota ferozmente, me levando ao céu, a sua pica quente e pulsante escorregava rápido me fazendo gozar novamente. Enquanto a minha irmã levantava a minha camiseta e chupava o meu mamilo, caio saiu da minha xoxota e a pegou de quatro, eu não resisti ao desejo de ver aquela penetração de perto e mergulhei por baixo dela ficando cara a cara com aquela foda enquanto ela lambia a minha racha, eu lambia a dela e torcia por mais uma escapulida da pica do Caio na minha boca, mas foi só uma questão de tempo entre aquele entra e sai ate ele retirar a sua pica da xoxota da minha irmã golfando o seu prazer na minha cara e me fazendo gozar mais uma vez naquela noite maravilhosa de tanto tesão.

Meus pais retornaram das férias mas a cada oportunidade que nos tínhamos, aproveitávamos ao máximo e em 2009 e 2010 eu levei pau direto e não só no vestibular

Contos relacionados

Sexo no trabalho

Me chamo Carol e esse conto aconteeu comigo. trabalho como auditora em um supermercado da minha cidade. Sempre recebi muitos elogios dos colegas de trabalho, por ser muito bonita e carismática ( tenho 1,62, 50 kg, morena do cabelao, cinturinha e peitoes...

O Cuzinho Da Cunhadinha Ninfeta

O cuzinho da cunhadinha ninfeta Ola, meu nome é Lourival, o que vou relatar aconteceu a começo do ano de 2012, estou casado a 6 anos e não tenho filhos, minha mulher e do interior de Santa Catarina, e quando casamos ela veio morar comigo em...

Minha Mae Meu Sonho

Minha mae meu sonho Olá, já li vários contos de incestos e nunca acreditei muito, mas sempre tive uma tara por minha mãe, até que estimulado pelos contos fui a luta. Desde menino apreciava minha bela mãe. então imagina. Ela Loira, 1,60cm, com...

A Carona

Se puder dar um conselho às mulheres mais jovens seria "tenha sempre um coroa pra te comer de vez em quando". Minha história começa com uma carona conseguida nesses grupos criados em redes sociais. No horário marcado, chegou o carro, com vidros...

Meu Chifre Começo A Aparecer

AMIGOS,  O CERCO ESTÁ SE FECHANDO,  UM MÊS DEPOIS DO ÚLTIMO PAPO COM MINHA ESPOSA,  LÁ ESTAVA EU,  OUTRA VEZ FAZENDO MASSAGENS NOS PEZINHOS DELA,  NO SOFÁ DA SALA.    LHE FALEI SOBRE A ÚLTIMA CONVERSA QUE TIVEMOS, QUANDO ELA ME DISSE QUE ALGUÉM...

Chopp Na Buça 

Chopp na buça  Sem conseguir renovar o seu cadastramento para o transporte complementar, meu pai agregou a sua van numa empresa e nos finais de semana ele fazia fretes para melhorar os rendimentos. Foi numa sexta-feira logo após o meu pai chegar...