Quem Ajuda Tem Recompensa

Quem ajuda tem recompensa

Quem ajuda tem recompensa.

Meu nome é Marcos, moro em BH, tenho 46 anos, sou alto, branco, olhos azuis e estou em forma.

Acordei cedo na última segunda-feira (15/06/2009) e fui fazer uma caminhada no meu bairro. Está meio frio estes dias, coloquei um moleton e, como sempre gosto de fazer caminhos diferentes a cada caminhada. Passando num bairro onde nunca havia estado antes, acabei adentrando uma rua muito deserta e além de tudo, pelo horário não havia ninguém Àvista. De uma casa saiu uma moça de uns 22 anos meio apressada, vim a saber depois que iria pegar um ônibus para o trabalho. Acho que, devido ao barulho de seu calçado, um cachorro surgiu, não sei de onde e avançou contra ela, que ficou paralisada. Eu estava a alguns metros e me assustei com a cena, pois o cachorro, apesar de vira-latas, era de um porte grande. Imediatamente corri um pouco e procurei afugentar o cão. O animal me arranhou um pouco a perna, na altura da coxa direita, apesar da calça do moleton, mas consegui afastá-lo dando um belo chute.

A moça estava branca de susto, eu a segurei pelo braço, uma vez que ela tremia muito e ela, aos poucos se acalmou e então me agradeceu e, achando que eu estivesse ferido, me convidou para ir até a casa dela para passar algum remédio e para que ela tomasse uma água com açúcar. Eu disse que não precisava se preocupar, falei que foi um pequeno arranhão e que não queria incomodar ninguém na casa. Ela disse que moravam apenas ela e a mãe na casa e que esta já havia saído mais cedo ainda para trabalhar como atendente na padaria Trigo de Ouro.

Ao nos dirigirmos para a casa dela, pude notar a beleza da garota. Trabalha numa loja franqueada da Oi Celular e usa aquele uniforme bege e verde. A calça parece ter sido feita sob medida e com muito critério para o corpo dela, pois ficou linda: caimento perfeito, realçando suas medidas perfeitas… uma bunda muito gostosa, deixando que se veja a marca da tanguinha. Enfim, uma delícia de corpo e também muito bonita, cheirosa e maquiada. Vou chamá-la aqui de Sandra, mas este não é o nome real, afinal já dei dicas demais e não quero comprometê-la.

Apesar da rua escondida, a casa é muito boa e aconchegante. Falei algo sobre a casa e ela pediu que eu me sentasse num sofá da sala enquanto trazia uns medicamentos. Chegou com soro fisiológico, gaze e mercúrio, mais uma vez falei que não precisava, mas ela verificou que houve um pequeno furo na minha calça e que era perigoso pegar doença do cão.

Tentei levantar a perna da calça, mas não dava para chegar até onde houve o âãoferimentoâ?  para mostrar-lhe. Ficou meio constrangedor, mas concordamos que o jeito seria eu abaixar a calça para verificarmos e medicarmos, se necessário fosse. Nesta hora eu, que já estava imaginando como seria aquela doçura sem aquele uniforme e, inebriado pelo seu perfume e por sua beleza, já estava a âãomeio-pauâ? , apesar de constrangido.

Larguei o constrangimento para lá e abaixei a calça, afinal eu estava de cueca e a camisa do moleton é um pouco comprida e não ficaria exposto.

Verificamos que foi realmente um arranhão superficial, mas mesmo assim ela embebeu a gaze com soro fisiológico e começou a passar levemente sobre ele. O geladinho do soro, sua mão linda e o inesperado da situação me fizeram arrepiar e subiu aquele friozinho na barriga que antecede a sensação de satisfação e tesão. Pronto, não teve jeito, meu pau teve uma forte ereção. Os homens sabem que, pela manhã, nosso nível de testosterona está mais alto e qualquer coisa faz a gente ficar com tesão. Se as mulheres soubessem (principalmente as que têm intenção de provocar),  como um homem tem tesão pela manhã, deveriam provocá-los nesta parte do dia.

Voltemos a história:

Eu, até então não tinha intenção de provocar uma situação ou tirar proveito dela, mas, desde que o pau subiu e vi que ela estava sendo âãosolícita e agradecidaâ?  demais, puxei um pouco a blusa para cima a fim de mostrar minha cueca com aquele volume, mesmo porque vi que ela olhava mais para cima do que propriamente para a âãoferidaâ? .

Ela estava ajoelhada e olhou bem para meu volume, olhou para mim (que a esta altura já estava até ofegante de tesão e adrenalina) e passou a mão no meu pau por cima da cueca só falando um âãonossaâ? . Eu então tirei-o para fora e ela começou a me punhetar e falar coisas que nem me lembro mais. Eu a levantei e beijei aquela boca linda, chupei seus peitinhos pequenos e com bicos rosados, seu pescoço, sentindo aquele perfume gostoso. Então entramos naquele frisson. Minha roupa foi fácil de cair, então ajudei-a a se livrar do uniforme.

Que visão maravilhosa: a tanguinha branca já denunciava sua excitação. Dei mordidinhas em sua bucetinha por cima da calcinha e senti o cheirinho gostoso de mulher. Abaixei a calcinha e enfiei a língua, assim mesmo, agachado e ela em pé. Virei-a para ver a bundinha. Delícia. Beijei como se fosse a coisa mais preciosa do mundo. Tentei enfiar a língua até no cuzinho, mas ela não deixou. Pediu para ser penetrada, então fizemos um papai-mamãe ali mesmo no sofá.

Depois de uma boa gozada dela, eu a pedi que ficasse de quatro no sofá mesmo a fim de meter por trás na bucetinha e poder curtir a visão daquela bunda maravilhosa com uma pequena tatuagem acima do âãocofrinhoâ? . Anunciei que ia gozar e ela pediu que eu gozasse nos peitinhos dela. Foi um gozo muito gostoso que quase me derrubou no chão devido ao tremor nas pernas.

Ela se limpou com um pouco de gaze, pegou o uniforme e foi para o banheiro. Ela me chamou, passou papel higiênico em meu pau e eu a beijei. Eu queria mais. Queria esperar um pouco para continuar, mas ela disse que teria que ir.

Quase não conversamos sobre nós mesmos. Não sei se ela tem namorado, qual loja Oi trabalha, etc.

Quando nos despedimos, até tentei marcar outro encontro, mas ela apenas gravou meu telefone no seu celular, andei um pouco mais a frente e voltei, passando pela mesma rua. Vi o cachorro de longe e silenciosamente o agradeci. Ri de mim mesmo e voltei para casa. Ao passar em frente a padaria calculei qual das atendentes seria a mãe dela e vi que Sandra tem a quem puxar: uma coroa bonitona e gostosa.

Hoje já é quarta e ela não me ligou. Estou parecendo aqueles adolescentes apaixonados. Não paro de pensar nela e já fantasio comendo aquela bunda linda e até fazendo âãoamizadeâ?  com sua mãe.

Vou pegar leve e dar um tempo antes de procurá-las se ela não me ligar antes e, se rolar mais algo, conto para vocês.

Abraço

Marcos Jimmy Cardoso (pseudônimo)

Contos relacionados

Sobrinha E Enteada

 Bem eu sou moreno 1,82 sou Casado e minha esposa tem três filhos e mais ainda uma sobrinha que ela cria como Filha . bem meus enteados sâo tranquilos a mais velha tem 13 porem vejo eles como filhos ,porem a sobrinha da minha esposa, vou chamar de...

Sexo Gostosos, A Tarde Dei O Cuzinho

Olá Prazer, Estou de volta Estava uns dias sem postar Aqui, vim Aqui Contar a Vocês, mais um conto magnífico nosso. Eu Estava em casa de bobeira fazendo vários "nadas"e por sinal doente surgiu uma otite insuportável, Quando "SP" me ligou Me convidando...

Seduzi Meu Tio E Gozei Muito

Bem meu nome e Ana tenho 20 anos, mais isso aconteceu quando eu tinha 17. Eu fui morar com minha tia em SP ela e casado com Marcos, ele e loiro alto muito gostoso. Eu quando cheguei na casa dela me encantei com aquele homem. Depois de algum tempo resolvi que...

Quem Foi ?

Quem foi ? Era um lindo final de semana na primavera e eu estava radiante. Não era para menos pois meu primo Carlos Antonio estava passando uns dias conosco e eu me amarrava demais nêle. Ele era altão, com seus dois metros de altura, jogador de...

Película Escura 

Película escura  Meu marido não andava me procurando sexualmente e eu comecei a desconfiar que talvez ele tivesse outra mulher na rua, todo final de semana ele vinha com aquele papo de futebol chegava todo sujo, fedendo e exausto e por mais que...

Madrinha Um Anal Para não Esquecer

Estava fazendo 25 anos quando a minha madrinha, que não via desde dos 8, apareceu toda sorridente com um presente nas mãos. Ela tem 65 anos, mas aparenta menos, bem cuidada, soube depois, viúva a 2 anos.Colocamos o papo em dia e, de repente me fez um...